Archive for fevereiro \29\UTC 2012

Estojo em tecido Joaninha

Esse ano resolvi economizar e fiz os estojos e lancheiras das meninas. Ao contrário do que se possa imaginar ao invés de ficar chateada por não ter um estojo de personagem a Gabi adorou o fato de ter algo exclusivo, até hoje, com quase 1 mês de aula ela ainda se exibe mostrando seus estojos para amigos e professores. O que felizmente, já gerou algumas encomendas rsrsrsr.

Fiz 3 modelos para ela, esse da foto é apenas para caneta, lápis, apontador, cola, tesoura e outras coisinhas. Para os lápis de cor fiz um estojo rolinho no mesmo tecido, ele acomoda 20 cores. Fiz também um outro modelo, em tamanho menor para o giz de cera.

Para a Nati fiz apenas um, pois, ela só leva escova de dentes, creme dental e uma toalhinha.

O molde desse estojo tirei de uma revista que já tinha há algum tempo, e, quem se interessar deixe um comentário que eu mando o molde por e-mail.

Em breve colocarei fotos dos outro modelos.

Beijos 😀

E você? Se considera rico ou pobre?

Pobreza

Dia desses alguém se encontrou com um indivíduo e, olhando-o, falou: Pobre homem rico.

Estranho! Afinal, é rico ou pobre? – Perguntou alguém que passava, no momento.

A resposta veio nos seguintes termos: O pobre homem rico é aquele que é dono de várias fazendas, de bônus, ações de várias companhias e uma grande conta corrente no banco mas é avarento.

É pobre porque sua mente é a essência da pobreza. Porque sempre tem medo de gastar alguns centavos. Suspeita de todo mundo. Preocupa-se com tudo o que tem e que lhe parece pouco.

A pobreza não é carência de coisas: é um estado de ânimo. Não são ricos os que têm tudo em abundância.

Só se é rico quando o dinheiro não nos preocupa. Se temos dois reais e nos lamentamos por não ter mais, somos mais ricos do que aquele que tem dois milhões e não pode dormir porque não tem quatro.

Pobreza não é carência: é a pressão da carência. A pobreza está na mente, não no bolso.

O pobre homem rico se angustia pela conta do supermercado que é muito alta. Também porque consome eletricidade, gás e gasolina. Sempre está procurando o modo de diminuir o salário dos empregados.

Dói quando sua mulher lhe pede dinheiro. Angustia-se pelo gasto de seus filhos.

Os pedidos de aumento de salário de seus empregados lhe ardem mais do que ácido que lhe fosse colocado sobre a pele.

Enfim, ele tem os sintomas da pobreza.

Em verdade, a finalidade do dinheiro é proporcionar comodidade, afastar temores, permitir uma vida de liberdade espiritual. Se não desfrutamos dessas vantagens, não importando quanto tenhamos, somos como o pobre homem rico.

Mas, se podemos experimentar essa sensação de liberdade, essa confiança no amanhã, essa ideia de abundância que se diz que o dinheiro proporciona, seremos ricos, mesmo sendo pobres.

Se desejamos ser ricos, sejamos. É mais fácil do que se fazer rico.

O dinheiro em si mesmo não significa nada. Seu verdadeiro valor está no que com ele possamos realizar em favor dos outros e de nós mesmos. Essa é a autêntica finalidade do dinheiro.

*   *   *

Se pensamos muito em dinheiro, ali estará o nosso tesouro.

Se os nossos pensamentos estão no amor, ali também estará o nosso tesouro.

Se valorizamos a tônica do dinheiro, nossos valores são materiais.

Se nossos pensamentos são nobres e altruístas, se pensamos e nos ocupamos em amar, o nosso tesouro não acabará com as crises econômicas, nem com as desvalorizações. Isso porque o espiritual não acaba nunca.

Enriqueçamo-nos com as coisas imperecíveis. Seremos então ricos, fortes e nossas riquezas estarão sempre conosco.

 

Redação do Momento Espírita, com base no cap. Onde está o teu tesouro, de Helen Hernández e no cap. Pobreza, de Frank Crane, do livro Um presente muito especial, de Roger Patrón Lujan, ed. Aquariana.

Em 18.01.2012.

Chucas&Fuxicos II

Tenho trabalhado horrores!!! Estou alone again, minha ajudante surtou e sumiu (um dia eu explico) e, dessa vez eu e maridão decidimos encarar o desafio e assumir a casa de vez. Ééééé não é fácil não, mas de alguma forma, mesmo que cansativa, é gratificante.

Mesmo assim tenho cumprido com minhas tarefas artesanais, e hoje deixo pra vocês a imagem de vários modelos de coisinhas cutes para as meninas usarem em seus cabelos. São tiaras, tiara-faixa, tic-tac, bico de pato, fivelas e chucas de vários tipos. Tudo com lindas flores de tecido.

A caixa laranja no canto da foto foi embora hoje, lotada com mais de 100 unidades de produtos, tudo embalado e etiquetado.

Beijos 😀